Home | Plataforma CSCS | Webmail | Documentos | Dúvidas Frequentes | Facebook | Instagram | Fale Conosco
HOME | INSTITUCIONAL | ASSOCIE-SE JÁ! | SERVIÇOS OFERECIDOS | HOTÉIS DE TRÂNSITO | REGIONAIS | POUSADAS | CASA DE APOIO | PROTEÇÃO AUTOMOTIVA | JURÍDICO | FALE CONOSCO | CSCSTV (vídeos)
img
img
img
Nome:
Email:
Confirme seu cadastro:
Nome:
(DDD)
Confirme seu cadastro:
Família de homem assassinado por sobrinhos da esposa exige reparação
Publicado em 04/02/2021 14:02

Caso foi registrado em Juatuba.

(Foto: Reprodução/Streetview)

A família de um homem de 43 anos assassinado pelos sobrinhos da esposa se mobiliza em uma tentativa de provar a inocência dele diante de graves denúncias. Morador de Juatuba, região metropolitana de BH, ele teria sido alvo de uma vingança após agredir a mulher e estuprar a filha dela, na segunda-feira (1º), conforme consta em registro policial. A família dele diz, no entanto, que as acusações são falsas e garante que medidas judiciais serão tomadas em busca de reparação.

Uma irmã do homem assassinado conversou com o BHAZ nesta quarta-feira (3). Ela conta que o então casal estava junto há cerca de sete anos e que nunca teve desentendimentos graves, envolvendo violência. Mônica Aparecida da Silva diz que o irmão era trabalhador.

“As nossas duas advogadas falaram que vão lá [procurar a polícia] amanhã mesmo. Está aí a versão deles, como se meu irmão fosse um lixo e é isso que a gente não aceita. Meu irmão era um trabalhador, eu não aceito isso”, disse.

Na denúncia registrada junto à Polícia Militar após a identificação do corpo, o homem foi acusado de ter agredido a esposa e estuprado a filha dela, uma menina de 13 anos, apenas um dia antes de ser morto. Durante as primeiras diligências, a PM falou com a mulher, que chegou a ser encaminhada para receber atendimento médico em uma clínica, e localizou os dois sobrinhos. Questionados pelos militares, eles confessaram o crime e disseram que foram atrás do homem por ficarem “revoltados” com a situação. Inconformada com o fato de a família não ter sido ouvida oficialmente, Mônica rebate todas as insinuações.

“Ele nunca foi de bater em ninguém, a gente tem várias testemunhas até onde a gente mora, ele nunca mexeu com mulher nenhuma para dizerem que abusou ou estuprou”, diz. Mônica reconhece que as acusações de violência doméstica são uma denúncia muito séria – mas não se conforma com a vingança planejada com covardia. “Antes de tudo, eu sou uma mulher, eu não aceito esse tipo de coisa. Eu acho que o homem que bate em mulher não tem nem que ser reconhecido, mas eu não desejo isso [morte] nem para o pior vagabundo. Se ele tivesse feito mesmo, o que não fez, chamasse a polícia. Não precisava matar”, lamenta.

Conflitos antigos

A irmã do homem assassinado conta ainda que chegou a ser procurada pela cunhada no dia das supostas agressões, mas desconfia que ele tenha sido atacado antes. “Ela me mandou uma mensagem falando que tinha brigado com o meu irmão, contando que ele pegou uma faca para agredir ela, mas isso não é verdade. Eu liguei para o meu irmão, fiquei ligando, ligando, tentei várias vezes. O meu irmão já estava morto”, afirma.

Ainda segundo Mônica, a família da mulher já havia maltratado o irmão dela há mais tempo e nem mesmo na ocasião ele reagiu. “Ele morou em Sabará com ela, a família dela já bateu nele. Nem por isso ele fez nada com nenhum deles. Se fosse outra pessoa, teria batido de volta. Se fosse outra pessoa lá no momento, ela não iria revidar?”, lembra. Mesmo com essa situação, a família nunca recebeu relatos ou teve alguma preocupação com a possibilidade de ele ser violento com a esposa.

“Meu irmão era tranquilo, da paz. Ele não deixava faltar nada, não era violento. Eu tenho testemunhas, se for para defender meu irmão, faz fila na delegacia. Nunca teve nada”, afirma. Ela lembra ainda que, nesta terça-feira, dia em que a família deveria estar comemorando o primeiro dia dele em um novo emprego, precisaram encarar a dor de vê-lo enterrado.

“Eu não estou defendendo meu irmão porque era meu irmão. Eu estou defendendo porque eu sei o que ele era. Eles armaram e forjaram tudo isso, querem colocar meu irmão como o pior dos homens e isso está machucando a gente”, diz Mônica. Agora, os familiares pretendem confrontar as acusações na Justiça e buscar algum tipo de consolo: “Meu irmão está morto, mas ele tem quem defenda ele”.

O crime

De acordo com o registro da PM, o corpo do homem foi encontrado com sinais de violência nesta segunda-feira, em um lote vago de Juatuba. Próximo ao corpo, foram encontrados cacos de vidro e um pedaço de pau, além de um facão, todos com marcas de sangue. Durante os trabalhos iniciais, a polícia verificou que, no dia anterior, uma ocorrência foi registrada pela companheira dele, que alegou ter sido agredida em casa.

Ao dar prosseguimento aos trabalhos, a PM levantou uma informação de que dois sobrinhos da mulher poderiam ter envolvimento na execução do homem. A corporação foi até Mateus Leme e conduziu os suspeitos para prestar esclarecimentos. Ainda segundo o boletim, um dos rapazes disse que ficou “revoltado” com a agressão sofrida pela tia e relatou que o homem chegou a se masturbar para a prima. O outro, por sua vez, também disse que ficou “bravo” com a atitude do homem.

A dupla perseguiu o companheiro da tia em um lote vago, e o agrediu com socos e o gargalo de garrafa de cerveja. Um dos jovens estava com a mão inchada por conta das agressões. Os sobrinhos da mulher relataram à polícia ainda que a tia e a prima tinham medo de procurar ajuda.

Fonte: Giovanna Fávero – Bhaz

MAIS NOTÍCIAS
O Governo de Minas Gerais dá aumento ao judiciário e calote na Segurança Pública

A notícia divulgada nesta última quinta-feira (7) do novo projeto de lei, sancionado pelo Governador de Minas, Romeu Zema, em recalcular base do terço de férias para juízes e desembargadores, sendo previsto...Leia mais.

PMMG anuncia as ações de segurança no Carnaval 2021

A notícia divulgada nesta última quinta-feira (7) do novo projeto de lei, sancionado pelo Governador de Minas, Romeu Zema, em recalcular base do terço de férias para juízes e desembargadores, sendo previsto...Leia mais.

Atuação do CBMMG durante intensas chuvas em Minas foi essencial para poupar vidas

A atuação dos militares converge e reflete a busca incessante da corporação pela segurança e preservação da população mineira, nas situações de catástrofe e...Leia mais.

12ª Cia PMMG apreende 689 kg de maconha e crack no município de Antônio Dias

Nesta segunda-feira (08), polícia militar da 12ª Cia MAMB prendeu homem suspeito de tráfico ilícito de drogas no município de Antônio Dias, Região metropolitana do Vale do Aço em Minas Gerais e...Leia mais.

Bombeiros encontram corpo de motorista que teve carro arrastado e caiu em rio

(Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

Os bombeiros encontraram o corpo de um motorista que teve o carro arrastado enquanto atravessava uma ponte sobre o Rio Mosquito, em Porteirinha, no Norte de Minas. As buscas...Leia mais.

VER TODAS AS NOTÍCIAS
Redes Sociais
Centro Social dos Cabos e Soldados PM/CBM-MG - Rua Dom Oscar Romero, nº 500 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Central de atendimento ao Sócio cscs@cscs.org.br | Fone Sede Social: (31) 3371-6563
© 2021 | Assessoria de Comunicação - CSCS PMCBM-MG