Home | Plataforma CSCS | Webmail | Documentos | Dúvidas Frequentes | Facebook | Instagram | Fale Conosco
HOME | INSTITUCIONAL | ASSOCIE-SE JÁ! | SERVIÇOS OFERECIDOS | HOTÉIS DE TRÂNSITO | REGIONAIS | POUSADAS | CASA DE APOIO | PROTEÇÃO AUTOMOTIVA | JURÍDICO | FALE CONOSCO | CSCSTV (vídeos)
img
img
img
Nome:
Email:
Confirme seu cadastro:
Nome:
(DDD)
Confirme seu cadastro:
Prefeito e candidato à reeleição de Crucilândia é detido por desacato
Publicado em 16/11/2020 10:11

Conforme boletim de ocorrência, Ilaerson Ferreira de Souza acusou PMs de trabalhar para a oposição.

(Foto: Reprodução)

O atual prefeito e candidato à reeleição de Crucilândia, na região Central de Minas, Ilaerson Ferreira de Souza (PP), foi detido por desacato de autoridade. No boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar (PM) consta que o político insinuou que os agentes de segurança estavam trabalhando em favor do candidato da oposição.

 

A confusão ocorreu no sábado (14), um dia antes da eleição. A PM informou que foi acionada após denúncia de que a prefeitura estaria fazendo uma obra irregular no povoado Parreiras, em troca de votos. No local, os policiais encontraram uma máquina do executivo realizando intervenções na zona rural.

 

Questionado, o operador do maquinário confessou que havia sido contratado pelo prefeito, mas depois mudou a versão. O homem foi conduzido para o batalhão da cidade, onde lá, conforme a PM, uma comitiva da prefeitura o aguardava. O secretário de obras alegou que o serviço era público, mas quando a PM pediu a documentação que comprovaria o fato, o gestor informou que a ordem para o serviço havia sido verbal.

 

O prefeito Ilaerson apareceu no batalhão e, segundo a PM, acusou os militares de serem imparciais e que "estavam agindo a favor da oposição". Por causa das insinuações, o prefeito recebeu voz de prisão por desacato.

 

Neste momento, ainda conforme a polícia, o chefe do executivo alegou que estava passando mal. Ele foi conduzido para uma unidade de saúde do município e, depois de receber alta, foi levado para a delegacia da cidade.

 

A Polícia Civil informou, por nota, que ouviu todos os envolvidos e lavrou Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Depois do procedimento, o prefeito foi liberado. A reportagem de O Tempo não conseguiu contato com o prefeito até a publicação desta matéria.

 

Fonte: Renata Evangelista - O Tempo

Redes Sociais
Centro Social dos Cabos e Soldados PM/CBM-MG - Rua Dom Oscar Romero, nº 500 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Central de atendimento ao Sócio cscs@cscs.org.br | Fone Sede Social: (31) 3371-6563
© 2021 | Assessoria de Comunicação - CSCS PMCBM-MG