Home | Plataforma CSCS | Webmail | Documentos | Dúvidas Frequentes | Facebook | Instagram | Fale Conosco
HOME | INSTITUCIONAL | ASSOCIE-SE JÁ! | SERVIÇOS OFERECIDOS | HOTÉIS DE TRÂNSITO | REGIONAIS | POUSADAS | CASA DE APOIO | PROTEÇÃO AUTOMOTIVA | JURÍDICO | FALE CONOSCO | CSCSTV (vídeos)
img
img
img
Nome:
Email:
Confirme seu cadastro:
Nome:
(DDD)
Confirme seu cadastro:
Gerente e dono de posto de combustíveis são presos em operação contra fraudes em MG
Publicado em 06/10/2020 14:10

Operação do Ministério Público na manhã desta quinta-feira (6), em São Lourenço, partiu de investigações de crimes como lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e organização criminosa.

(Foto: Reprodução/EPTV)

Dois homens foram presos na operação do Ministério Público na manhã desta quinta-feira (6) em São Lourenço (MG). Eles são o gerente e o dono de um posto de combustíveis, suspeitos de envolvimento em um esquema de fraude na venda de combustíveis de origem ilícita.

 

Segundo o MP, eles também são investigados por fraude em notas fiscais, alteradas com aparência de documento legalizado. A Operação Quebrando a Banca foi no início da manhã, em parceria com a Polícia Militar, fiscais do Procon e da Receita Estadual.

 

“Houve a necessidade da prisão dos dois alvos, em razão da reiteração da prática criminosa, porque nós tínhamos notícias de ameaças que estavam sendo feitas a pessoas envolvidas. Agora a Receita está recolhendo documentos, o Procon está fazendo a análise do combustível e a investigação prossegue”, explicou o promotor de Justiça Leandro Pannain Rezende.

 

O posto no bairro Nossa Senhora de Fátima foi lacrado. No local, os fiscais apreenderam documentos e celulares, que devem ajudar nas investigações, e checaram a qualidade do combustível vendido. A princípio, encontraram irregularidade em uma das bombas de combustíveis.

 

Os presos podem responder por lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e organização criminosa.

 

Investigações

Os trabalhos do Ministério Público começaram em 2018, quando foi apurado o furto de combustível de dutos da Petrobrás em Minas Gerais. Na época, o esquema enviava o produto para várias empresas, inclusive do Sul de Minas - em Pouso Alegre, Elói Mendes e São Lourenço.

 

“Segundo as investigações, após a primeira investigação do Gaeco central de Belo Horizonte, no início deste ano nós recebemos outras notícias de que essa prática poderia estar novamente acontecendo. Nós investigamos juntamente com a Polícia Militar essas ocorrências e chegamos à conclusão que esses indícios apontavam que a empresa continuava a trabalhar com parte de combustível ilícito, de procedência ilícita”, explicou o promotor.

 

O promotor ainda explicou que o combustível é trazido do estado de São Paulo para Minas Gerais, mas deveria ser destinado a empresas de Guarulhos (SP). “Ele ingressava aqui em Minas Gerais, calçado de outra nota fiscal emitida em nome da própria empresa investigada de forma a dar aparência de legalidade. O mesmo combustível era descarregado onde deveria ser. Então nós acreditamos que temos dentro dessas operações um tanque de combustível que não tem procedência ilícita, que gerava um lucro para a empresa”.

 

O Ministério Público também identificou a participação de laranjas, usados na lavagem de dinheiro. “Um funcionário da empresa investigada realizava o depósito para acobertar essas transações em nome dele próprio, ou seja, um contínuo, que recebe pouco mais de um salário mínimo fazia depósitos de R$ 30 mil R$ 50 mil, R$ 60 mil em dinheiro vivo e utilizando o seu próprio CPF, isso dificulta fiscalização e é indício de lavagem de dinheiro”.

 

A Polícia Militar, que ajudou nas investigações, disse que os alvos não ofereceram resistência no cumprimento dos mandados. “A polícia junto com o Gaeco trabalhou nessa busca de informações que possibilitou a expedição de dois mandados de prisão preventiva e dois de busca e apreensão. Eles foram cumpridos hoje de manhã, os dois autores foram presos de fato e durante a busca e apreensão, conseguimos a busca de vários documentos, computadores, para dar elementos a essa investigação. E durante a prisão, ao tomarem conhecimento do mandado de prisão em desfavor deles, não ofereceram nenhum tipo de resistência”, detalhou o Major Leandro Campos, subcomandante da PM de São Lourenço.

Fonte: Gabriela Prado, Fernanda Rodrigues e Guto Moreira - G1 Sul de Minas

Foto: Reprodução/EPTV
MAIS NOTÍCIAS
O Governo de Minas Gerais dá aumento ao judiciário e calote na Segurança Pública

A notícia divulgada nesta última quinta-feira (7) do novo projeto de lei, sancionado pelo Governador de Minas, Romeu Zema, em recalcular base do terço de férias para juízes e desembargadores, sendo previsto...Leia mais.

PMMG anuncia as ações de segurança no Carnaval 2021

A notícia divulgada nesta última quinta-feira (7) do novo projeto de lei, sancionado pelo Governador de Minas, Romeu Zema, em recalcular base do terço de férias para juízes e desembargadores, sendo previsto...Leia mais.

Atuação do CBMMG durante intensas chuvas em Minas foi essencial para poupar vidas

A atuação dos militares converge e reflete a busca incessante da corporação pela segurança e preservação da população mineira, nas situações de catástrofe e...Leia mais.

12ª Cia PMMG apreende 689 kg de maconha e crack no município de Antônio Dias

Nesta segunda-feira (08), polícia militar da 12ª Cia MAMB prendeu homem suspeito de tráfico ilícito de drogas no município de Antônio Dias, Região metropolitana do Vale do Aço em Minas Gerais e...Leia mais.

Bombeiros encontram corpo de motorista que teve carro arrastado e caiu em rio

(Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

Os bombeiros encontraram o corpo de um motorista que teve o carro arrastado enquanto atravessava uma ponte sobre o Rio Mosquito, em Porteirinha, no Norte de Minas. As buscas...Leia mais.

VER TODAS AS NOTÍCIAS
Redes Sociais
Centro Social dos Cabos e Soldados PM/CBM-MG - Rua Dom Oscar Romero, nº 500 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Central de atendimento ao Sócio cscs@cscs.org.br | Fone Sede Social: (31) 3371-6563
© 2021 | Assessoria de Comunicação - CSCS PMCBM-MG