Home | Plataforma CSCS | Webmail | Documentos | Dúvidas Frequentes | Facebook | Instagram | Fale Conosco
HOME | INSTITUCIONAL | ASSOCIE-SE JÁ! | SERVIÇOS OFERECIDOS | HOTÉIS DE TRÂNSITO | REGIONAIS | POUSADAS | CASA DE APOIO | PROTEÇÃO AUTOMOTIVA | JURÍDICO | FALE CONOSCO | CSCSTV (vídeos)
img
img
img
Nome:
Email:
Confirme seu cadastro:
Nome:
(DDD)
Confirme seu cadastro:
MPMG denuncia por agressão homem que decepou patas do cachorro Sansão
Publicado em 30/09/2020 13:09

O autor do crime também responderá por maus-tratos cometidos contra outros 12 animais, todos em um período de tempo de dois anos.

(Foto: Ticiana Lima Dornas/ Arquivo pessoal)

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) apresentou, nesta terça-feira (29), uma denúncia contra o homem acusado de mutilar Sansão - um cão da raça pitbull -, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), em 6 de julho deste ano. De acordo com o órgão, o suspeito também foi denunciado pela agressão ao pai de Sansão, um cachorro chamado Zeus, que foi submetido a eutanásia, após ser agredido em julho de 2018.

 

Em nota, o Ministério Público também informou que além das agressões contra os dois cães, o homem denunciado ainda responderá por maus-tratos cometidos contra outros 12 animais, que teriam sido praticados em 12 de julho deste ano. As novas agressões foram contra três cachorros, três gatos e seis galinhas. Uma das aves morreu.

 

Na denúncia apresentada à Justiça – formulada por um grupo de trabalho formado pelos promotores de Justiça Luciana Imaculada de Paula, Ronaldo Assis Crawford, Monique Mosca Gonçalves e Anelisa Cardoso Ribeiro -, o MPMG pede a condenação do acusado com base no artigo 32 da Lei 9.605/98, Lei de Crimes Ambientais, na forma do artigo 69 do Código Penal.

 

Além disso, foram requeridas algumas medidas cautelares segundo o Ministério Público. São elas: “proibir o homem de adotar ou adquirir animais, ainda que para terceira pessoa, no intuito de evitar o risco de novas infrações; proibi-lo de ter sob sua posse, tutela, guarda ou detenção, ainda que eventual, qualquer animal; e proibi-lo de ausentar-se da comarca quando a permanência seja conveniente ou necessária para a investigação ou instrução”. A legislação em vigor não prevê prisão.

 

Ação civil pública

Além de apresentar denúncia criminal à Justiça, o MPMG propôs uma ação civil pública, tanto contra o acusado, quanto ao dono de Sansão. Conforme as investigações conduzidas pela Polícia Civil, “eram constantes os conflitos de vizinhança entre os envolvidos, por vezes agravados por episódios de briga e eventos de mordedura entre Sansão e os cães que habitavam no terreno vizinho”.

O órgão pede que o agressor pague por todas as despesas com assistência veterinária e “demais gastos decorrentes do tratamento” de Sansão até a “completa recuperação” da saúde do cão.

Outras medidas requisitadas são o pagamento de R$ 10 mil por danos irreversíveis causados ao pitbull, que devem ser “revertidos em proveito do bem-estar do animal”, mediante “depósito em conta específica para tal finalidade”. Também, o MPMG pede pagamento de R$ 15 mil por danos morais à Associação Regional de Proteção Animal (Arpa II).

O dono de Sansão pode sofrer medida protetiva “em favor do animal” devido a “indícios de situação de risco e descumprimento dos deveres de guarda responsável”, conforme o MPMG. A punição seria cumprida a partir de acompanhamento temporário do animal por profissionais técnicos por, no mínimo, um ano, com despesas pagas por ele.

 

Lei Sansão

Nesta terça-feira (29), em Brasília, deverá ser sancionado o Projeto de Lei 1095/19, conhecido como Lei Sansão. A convite da Presidência da República, a promotora de Justiça Luciana Imaculada, representará o MPMG na solenidade de promulgação da lei.

 

O PL foi aprovado pelo Senado no dia 9 de setembro desde ano e pela Câmara dos Deputados em dezembro do ano passado.

 

O texto altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, para estabelecer pena de reclusão a quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos; e instituir penas para estabelecimentos comerciais ou rurais que concorrerem para a prática do crime. Pela lei atual, a pena para quem cometer esses crimes é de três meses a um ano de detenção, além de multa.

 

A nova redação estipula pena de até cinco anos de prisão para quem cometer atos contra cães e gatos. Mas, o caso envolvendo Sansão não terá aplicação da lei que deverá ser sancionada nesta terça-feira, pois as denúncias foram feitas com base na legislação até então vigente.

Fonte: Luiz Henrique Campos - Estado de Minas

MAIS NOTÍCIAS
Dois anos de trabalho intensivo do Corpo de Bombeiros de MG na tragédia Brumadinho

Há exatos dois anos, moradores da cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte, passaram por muito sofrimento, angustia e revolta trazida pelo rompimento da Barragem da Mina do Córrego do Feijão, sendo...Leia mais.

Polícia Militar Rodoviária inicia operação para apreender armas de fogo nas estradas de MG

A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) deu início, na madrugada desta segunda-feira (25), à segunda fase da operação Rota Segura, com foco na apreensão de armas de fogo nas estradas mineiras sob...Leia mais.

Mulher é esfaqueada, passa por cirurgia e marido está foragido

(Foto: Reprodução/Record Tv Minas)

Uma mulher de 47 anos foi esfaqueada na noite deste domingo (24), no bairro São Benedito, em Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte. Clemência dos...Leia mais.

Padre desaparece após cair de pedra de cachoeira e bombeiros fazem buscas em MG

(Foto: Reprodução Arquidiocese)

O Corpo de Bombeiros realiza, na manhã desta segunda-feira (25), buscas para tentar encontrar um padre que desapareceu em uma cachoeira de Buenópolis, região...Leia mais.

Jovens são baleados em pagode no Morro do Papagaio; dois morreram

(Foto: Gladyston Rodrigues/EM/ D.A Press)

Três jovens foram baleados na madrugada desta segunda-feira (25/01) no Morro do Papagaio, em Belo Horizonte. Dois morrerem no local e um sobreviveu aos quatro tiros que levou, sendo...Leia mais.

VER TODAS AS NOTÍCIAS
Redes Sociais
Centro Social dos Cabos e Soldados PM/CBM-MG - Rua Dom Oscar Romero, nº 500 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Central de atendimento ao Sócio cscs@cscs.org.br | Fone Sede Social: (31) 3371-6563
© 2021 | Assessoria de Comunicação - CSCS PMCBM-MG