Home | Plataforma CSCS | Webmail | Documentos | Dúvidas Frequentes | Facebook | Instagram | Fale Conosco
HOME | INSTITUCIONAL | ASSOCIE-SE JÁ! | SERVIÇOS OFERECIDOS | HOTÉIS DE TRÂNSITO | REGIONAIS | POUSADAS | CASA DE APOIO | PROTEÇÃO AUTOMOTIVA | JURÍDICO | FALE CONOSCO | CSCSTV (vídeos)
img
img
img
Nome:
Email:
Confirme seu cadastro:
Nome:
(DDD)
Confirme seu cadastro:
Suspeito de matar advogada a facadas no Betânia vai a júri popular em BH
Publicado em 14/08/2020 14:08

Acusação espera pela condenação e que ele não recorra em liberdade, pois familiares da vítima estariam recebendo ameaças do homem mesmo dois anos após o crime.

(Foto: João Leus)

Um homem suspeito de matar a facadas a ex-companheira após uma discussão, em julho de 2018, no bairro Betânia, região Oeste de Belo Horizonte, vai a júri popular nesta sexta-feira (14), no Fórum Lafayette. A vítima, a advogada Monalisa Camila da Silva, 35, teria sido morta dentro do escritório em que trabalhava por Flávio Santos da Silva, 38, com quem teve um relacionamento de 15 anos. O homem confessou a autoria do crime.

 

De acordo com a advogada da mulher, Nicole Gásparo, o objetivo da acusação é de que ele seja condenado pelo crime. “A nossa expectativa é de que ele seja condenado e pegue uma pena de no mínimo 12 anos e no máximo 30”, disse a advogada.

 

A briga do casal, que resultou na morte da advogada, teria começado porque o homem foi até o escritório para pedir dinheiro emprestado e, após a vítima negar o empréstimo, ele começou a tirar satisfações com ela sobre uma festa que ela teria ido dias antes, mesmo após o término do relacionamento. Durante a discussão, ele teria proferido as facadas. De acordo a advogada da vítima, o autor é violente e desde a época tem feito ameaças à mãe de Monalisa, por acreditar que ela teria sido a responsável pelo fim do relacionamento do casal.

 

“As ameaças continuaram, dentro do presídio não tem como, mas agente descobriu uma página no facebook que ele mantinha lá de dentro. A família ainda tem muito medo dele ser solto e a gente continua pedindo para mantê-lo preso, independente a condenação. Já que a defesa deve pedir para ele recorrer em liberdade. As ameaçadas dizem que o dia dele vai chegar, as ameaças são mais ou menos dessa forma. A Família tem medo dele sair e vir atrás da mãe dela, fazer a vingança que ele disse que ia fazer”, explica.

 

Ainda segundo a advogada, o casal tem um filho, que atualmente tem 14 anos e mora com a avó. Dez dias antes de ser morta pelo ex-marido, Monalisa Camila da Silva havia conseguido medida protetiva na Justiça contra o ex-companheiro.

 

A reportagem de O Tempo ainda não conseguiu contato com a defesa do acusado.

 

Basta

 

Em janeiro de 2019, seis meses após o crime, cerca de 30 familiares da advogada Monalisa Camila da Silva fizeram um protesto em Frente ao Fórum Lafayette, no Barro Preto, região Centro-sul de Belo Horizonte, durante a audiência de instrução do caso. Vestidos com camisas com foto da advogada e carregando placas com frases como “basta de violência”, eles fizeram um protesto silencioso no local.

 

Silva foi preso no dia morte de Monalisa, após confessar ter atacado a ex-mulher a facadas. Segundo testemunhas, o suspeito nunca trabalhou, fazia uso de bebidas alcoólicas e era usuário de drogas, o que teria motivado a separação do casal.

 

Descontente, o acusado fez diversas ameaças à vítima. Esse comportamento levou Monalisa a denunciar o comportamento agressivo de Silva à polícia.

 

Retomada do Júri

 

O Fórum de Belo Horizonte retomou na última quarta-feira (12), os julgamentos com júri popular. As sessões estavam suspensas devido a pandemia de coronavírus. A expectativa é de que a retomada das pautas do 1º e do 3º Tribunais do Júri sejam retomadas gradativamente durante este mês. De acordo com a assessoria de imprensa do Fórum Lafayette medidas de segurança e proteção contra o coronavírus foram adotadas para a realização das sessões.

 

Ao todo, sete jurados que compõem o Conselho de Sentença irão acompanhar o julgamento da plateia, para manterem entre si o devido distanciamento de dois metros. Na área à frente do plenário, juiz, escrevente, acusação e defesa também serão dispostos de forma a garantir o afastamento necessário.

 

O Fórum informou que também serão disponibilizados equipamentos de proteção facial e álcool em gel para as pessoas que estiverem presentes no plenário. Durante toda a sessão será obrigatória a utilização da máscara de proteção respiratória, e será recomendada a higienização das mãos constantemente.

 

Advogados, testemunhas e familiares terão acesso ao salão do Tribunal do Júri do Fórum Lafayette pela portaria da Av. Augusto de Lima. Para entrar no fórum, todas as pessoas serão submetidas a aferição de temperatura e avaliação de sintomas de doenças contagiosas.

 

As portarias que regulamentam o retorno gradual das atividades preveem a entrada de cinco pessoas para assistir a sessão de julgamento, priorizando os familiares do réu e da vítima.

 

As refeições serão servidas individualmente, em recipientes e com talheres descartáveis. Um profissional da limpeza estará presente durante todo o julgamento para fazer a limpeza das superfícies tocadas pelos participantes.

 

A plataforma de videoconferência Cisco Webex, fornecida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), somente será utilizada para a oitiva de testemunhas, caso acusação e defesa concordem e o juiz aprove. O sistema não será utilizado para a transmissão dos julgamentos presenciais ao público externo.

 

De acordo com a assessoria do Fórum Lafayete, o 1º, o 2º e o 3º Tribunais do Júri de Belo Horizonte possuem salões com ambientes ventilados. Já o espaço do 4º Tribunal do Júri está sendo modificado, de modo a garantir um ambiente mais ventilado. A previsão é de que o 2º e o 4º Tribunais do Júri retomem os trabalhos em setembro.

Fonte: Bruno Menezes - O Tempo

MAIS NOTÍCIAS
O Governo de Minas Gerais dá aumento ao judiciário e calote na Segurança Pública

A notícia divulgada nesta última quinta-feira (7) do novo projeto de lei, sancionado pelo Governador de Minas, Romeu Zema, em recalcular base do terço de férias para juízes e desembargadores, sendo previsto...Leia mais.

PMMG anuncia as ações de segurança no Carnaval 2021

A notícia divulgada nesta última quinta-feira (7) do novo projeto de lei, sancionado pelo Governador de Minas, Romeu Zema, em recalcular base do terço de férias para juízes e desembargadores, sendo previsto...Leia mais.

Atuação do CBMMG durante intensas chuvas em Minas foi essencial para poupar vidas

A atuação dos militares converge e reflete a busca incessante da corporação pela segurança e preservação da população mineira, nas situações de catástrofe e...Leia mais.

12ª Cia PMMG apreende 689 kg de maconha e crack no município de Antônio Dias

Nesta segunda-feira (08), polícia militar da 12ª Cia MAMB prendeu homem suspeito de tráfico ilícito de drogas no município de Antônio Dias, Região metropolitana do Vale do Aço em Minas Gerais e...Leia mais.

Bombeiros encontram corpo de motorista que teve carro arrastado e caiu em rio

(Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

Os bombeiros encontraram o corpo de um motorista que teve o carro arrastado enquanto atravessava uma ponte sobre o Rio Mosquito, em Porteirinha, no Norte de Minas. As buscas...Leia mais.

VER TODAS AS NOTÍCIAS
Redes Sociais
Centro Social dos Cabos e Soldados PM/CBM-MG - Rua Dom Oscar Romero, nº 500 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Central de atendimento ao Sócio cscs@cscs.org.br | Fone Sede Social: (31) 3371-6563
© 2021 | Assessoria de Comunicação - CSCS PMCBM-MG