Home | Plataforma CSCS | Webmail | Documentos | Dúvidas Frequentes | Facebook | Instagram | Fale Conosco
HOME | INSTITUCIONAL | ASSOCIE-SE JÁ! | SERVIÇOS OFERECIDOS | HOTÉIS DE TRÂNSITO | REGIONAIS | POUSADAS | CASA DE APOIO | PROTEÇÃO AUTOMOTIVA | JURÍDICO | FALE CONOSCO | CSCSTV (vídeos)
img

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

img

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Nome:
Email:
Confirme seu cadastro:
Nome:
(DDD)
Confirme seu cadastro:
Polícia prende funcionários de mineradora suspeitos de corrupção
Publicado em 18/09/2020 12:09

Três funcionários são suspeitos de vender terrenos da empresa sem autorização, além de cobrar valores indevidos em contratos gratuitos.

(Foto: Reprodução/RecordTV Minas)

A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu três funcionários da mineradora Morro Velho, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte. Eles são suspeitos de vender imóveis da empresa sem que a mineradora soubesse.

 

De acordo com a corporação, as investigações começaram após a AngloGold Ashanti, que administra a mineradora, fazer a denúncia. Inicialmente, os policiais investigavam o crime de estelionato, mas, durante o inquérito, foram identificados outros delitos, como lavagem de dinheiro, falsificação de documentos, associação criminosa e falsidade ideológica.

 

Segundo o delegado Marlon Pacheco, os funcionários vendiam lotes em áreas urbanas e rurais que eram da empresa sem autorização e conhecimento da mineradora.

 

Além disso, eles são suspeitos de cobrar valores indevidos por contratos que a mineradora assinava de forma gratuita. A empresa tem o costume de conceder o uso dos terrenos de forma gratuita em troca da manutenção e segurança do terreno. Aproveitando do cargo que ocupavam, os funcionários chegavam a cobrar R$ 25 mil pelo uso dos lotes.

 

O chefe do Departamento Estadual de Combate à Corrupção e Fraudes, delegado Agnelo de Abreu Baeta, acredita que, durante os próximos desdobramentos, a operação poderá atingir pessoas importantes da cidade de Nova Lima.

 

— Essa investigação provavelmente vai chegar em algum parlamentar de Nova Lima e também proprietários de cartórios que podem estar envolvidos nestes crimes.

 

Em nota, a AngloGold Ashanti confirmou que as denúncias sobre possíveis fraudes partiram da própria empresa. A mineradora informou que está colaborando com as investigações.

Fonte: Célio Ribeiro - R7 Minas Gerais

Redes Sociais
Centro Social dos Cabos e Soldados PM/CBM-MG - Rua Dom Oscar Romero, nº 500 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Central de atendimento ao Sócio cscs@cscs.org.br | Fone Sede Social: (31) 3371-6563
© 2020 | Assessoria de Comunicação - CSCS PMCBM-MG