Home | Plataforma CSCS | Webmail | Documentos | Dúvidas Frequentes | Facebook | Instagram | Fale Conosco
HOME | INSTITUCIONAL | ASSOCIE-SE JÁ! | SERVIÇOS OFERECIDOS | HOTÉIS DE TRÂNSITO | REGIONAIS | POUSADAS | CASA DE APOIO | PROTEÇÃO AUTOMOTIVA | JURÍDICO | FALE CONOSCO | CSCSTV (vídeos)
img

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

img

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Nome:
Email:
Confirme seu cadastro:
Nome:
(DDD)
Confirme seu cadastro:
Polícia investigará sangue em apartamento após queda e morte de criança
Publicado em 20/08/2020 14:08

A polícia acredita que o fato foi um acidente.

(Foto: CBMMG/Divulgação)

A Polícia Civil acredita que o caso do menino de 9 anos que morreu ao cair do quarto andar de um prédio, na manhã desta quarta-feira (19), no bairro Santa Lúcia, na região Centro-Sul de BH, possa ser um acidente.

 

O delegado responsável pelas investigações, Vinícius Dias, afirmou em entrevista coletiva que a criança estava trancada no quarto quando o acidente ocorreu. Segundo ele, o menino “arrastou a cadeira para próximo da janela e cortou parte da tela com uma tesoura escolar e, ao colocar a cabeça para fora, teria se desequilibrado e caído de uma altura de 13 metros”.

 

Ainda de acordo com o delegado, preliminarmente, foi constatado que o garoto teria caído e não se jogado. “De acordo com o diâmetro da fissura na janela e da mecânica da queda foi constatado, preliminarmente, que ela [criança] não teria se jogado, ela teria caído. Ela não utiliza anteparos. Ela não utiliza a mão, utilizou o pé”, explica.

A queda aconteceu por volta das 10h30 de hoje (19), em um prédio na avenida Arthur Bernardes, próximo à Barragem Santa Lúcia. Segundo o Corpo de Bombeiros, um médico que passava pelo local já havia atestado o óbito da criança quando os militares chegaram.

 

Motivo

O delegado disse ainda que a empregada contou que mais cedo teria presenciado uma briga entre mãe e filho. A mãe teria retirado o computador do garoto e ele não concordou. Após a mãe sair para levar avó do menino ao médico, ele teria tentado fugir do apartamento, mas o porteiro impediu. Em seguida, ele se trancou no quarto e arrastou a cadeira para perto da janela. No momento do acidente, a empregada estava na cozinha fazendo almoço. O porteiro chamou no interfone e contou que o menino tinha caído.

 

Empregada

A polícia descarta participação da empregada no ocorrido e negligência. “Ela contou que a criança não queria diálogo. Queria o quarto como abrigo. Inicialmente eu não parto para essa linha não. Não foi descuido. Ela ficou muito abalada. Ela tinha muito carinho pela criança”, afirma o delegado. A mulher já foi ouvida na delegacia. A previsão é que os pais do garoto sejam intimados no final desta semana ou no início da próxima.

 

Gotas de sangue

Na cozinha do apartamento foram encontradas gotas de sangue, mas a polícia ainda não sabe dizer a quem pertence. “No momento em que a criança saiu, a empregada estava fazendo comida. Não dá para dizer se as gotas de sangue são da criança, da empregada ou da carne. Primeiro, temos que verificar se é sangue humano e a origem, se é da empregada, do menino ou das pessoas que estavam na residência”, conclui o delegado.

Fonte: Marcela Gonzaga - Bhaz

Redes Sociais
Centro Social dos Cabos e Soldados PM/CBM-MG - Rua Dom Oscar Romero, nº 500 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Central de atendimento ao Sócio cscs@cscs.org.br | Fone Sede Social: (31) 3371-6563
© 2020 | Assessoria de Comunicação - CSCS PMCBM-MG