Home | Plataforma CSCS | Webmail | Documentos | Dúvidas Frequentes | Facebook | Instagram | Fale Conosco
HOME | INSTITUCIONAL | ASSOCIE-SE JÁ! | SERVIÇOS OFERECIDOS | HOTÉIS DE TRÂNSITO | REGIONAIS | POUSADAS | CASA DE APOIO | PROTEÇÃO AUTOMOTIVA | JURÍDICO | FALE CONOSCO | CSCSTV (vídeos)
img

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

img

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Nome:
Email:
Confirme seu cadastro:
Nome:
(DDD)
Confirme seu cadastro:
Militares estarão em primeiro plano no próximo governo
Publicado em 07/11/2018 11:11

O encontro do presidente eleito, Jair Bolsonaro, com os comandantes das Forças Armadas, antes de ter uma reunião com o presidente Michel Temer, é um forte indício de prestígio dos militares.

(Foto: Valter Campanato / Agência Brasil)

O encontro do presidente eleito, Jair Bolsonaro, com os comandantes das Forças Armadas, antes de ter uma reunião com o presidente Michel Temer, é um forte indício de que os militares estarão em primeiro plano no próximo governo, avaliam especialistas. Na reunião com os comandantes Eduardo Bacellar (da Marinha) e Eduardo Villas Bôas (do Exército), Bolsonaro afirmou que o governo não pretende contingenciar recursos dos militares.

Segundo o cientista político Thiago Vidal, o que chama mais a atenção é Bolsonaro ter se encontrado individualmente com cada um dos mandatários das três Forças. “O mais simbólico é o fato de ter um número significativo de militares como prováveis ministros e/ou assessores diretos. No fim, é um prestígio às Forças Armados. Um prestígio individual”, diz. Vidal lembra, no entanto, que a presença do presidente eleito na cerimônia de comemoração dos 30 anos da Constituição, na Câmara, fez com que ele e Temer se reunissem informalmente.

Para o professor e cientista político da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Homero de Oliveira, esse contato próximo das instituições militares com Bolsonaro é previsível e “perfeitamente lógico”. Ele conta que, desde o início da campanha, parte expressiva dos membros das Forças — em especial do Exército — apoiou Bolsonaro. “Não sei o que o levou a fazer isso, mas, talvez, pensou que o fortaleceria, por enfatizar a posição em favor das Forças Armadas”, afirma o pesquisador.

O acadêmico acredita que, mesmo com um contexto diferente, o fato vivenciado, na última terça-feira (06), se assemelha, em alguns aspectos, ao que ocorreu com Getúlio Vargas em 1950. Ele lembra que, à época, o representante do PTB chegou a pedir a anuência dos militares para disputar a campanha eleitoral. “Getúlio era um civil, mas Bolsonaro, já é um militar de carreira. É alguém que deve contar com o apoio dos militares.”

Oliveira diz que o presidente eleito não necessita da aceitação dos chefes das Forças para governar, mas ressalta que as medidas prometidas durante a campanha, de aumentar o número de militares em postos-chaves do governo, podem criar um ambiente de aprisionamento dos interesses da categoria. “Já começou com a presença muito forte dos militares na composição da equipe de transição. Além disso, ele anunciou que terá a maioria da Esplanada comandada por militares”, afirma.

Sem cortes

Ao ser questionado sobre a mensagem que esses encontros podem transmitir, Bolsonaro foi enfático. “Eu sou oriundo da carreira, então, os militares terão um lugar de destaque no governo.”

O presidente eleito também garantiu que as Forças Armadas não sofrerão cortes de orçamento. “Hoje (06/11), Paulo Guedes disse que os militares não terão recursos contingenciados. Ele manda na economia”, ressalta. A decisão, segundo Bolsonaro, se justifica pelo fato de os militares prestarem um serviço a todo o Brasil, sendo essenciais em “momentos difíceis como os que atravessamos”. “Acho que nada é mais justo. É o reconhecimento das Forças Armadas”, diz.

O núcleo duro do governo já conta com dois militares de destaque: os generais Augusto Heleno Ribeiro (para a Defesa ou SGI), um dos principais conselheiros, e o vice-presidente eleito, Hamilton Mourão. Ambos estavam presentes nos encontros com os comandos das Forças Armadas.

Fonte: Lucas Valença Especial para o EM

MAIS NOTÍCIAS
Motorista joga carro em barraco para ter dinheiro do seguro, mas acaba preso pela PM

Um motorista de aplicativo tentou dar um golpe para conseguir o dinheiro do seguro do veículo, mas a farsa foi descoberta. O homem acabou sendo detido por falsa comunicação de crime. O caso aconteceu neste domingo (14), em...Leia mais.

Bombeiros trabalham no combate de focos de incêndio na Serra do Curral

(Foto: CBMG/divulgação)

Militares do Corpo de Bombeiros combatem desde a noite desse domingo (14) incêndios em quase toda a extensão da Serra do Curral, na região Centro-Sul de Belo...Leia mais.

Homens fogem depois de tentar explodir caixa eletrônico na UFMG

(Foto: Regiane Alves/RecordTV Minas)

Três homens fugiram na madrugada deste domingo (14) depois de tentarem explodir um caixa eletrônico em um dos prédios do campus da UFMG (Universidade Federal de Minas...Leia mais.

Homem é encontrado morto em apartamento na Região da Pampulha, em Belo Horizonte

(Foto: Elton Lopes/TV Globo)

Um homem foi encontrado morto dentro de um apartamento, na manhã desta segunda-feira (15), no bairro Santa Terezinha, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte.

De acordo...Leia mais.

PM prende 26 pessoas e recupera 170 aparelhos celulares furtados na Parada LGBT, em BH

Nove colombianos e 17 pessoas foram detidas entre a tarde e início da noite desse domingo (14) por furto a participantes da 22ª Parada do Orgulho LGBT de Belo Horizonte, que teve concentração na Praça da...Leia mais.

VER TODAS AS NOTÍCIAS
Redes Sociais
Centro Social dos Cabos e Soldados PM/CBM-MG - Rua Dom Oscar Romero, nº 500 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Central de atendimento ao Sócio cscs@cscs.org.br | Fone Sede Social: (31) 3371-6563
© 2019 | Assessoria de Comunicação - CSCS PMCBM-MG