Home | Plataforma CSCS | Webmail | Documentos | Dúvidas Frequentes | Facebook | Instagram | Fale Conosco
HOME | INSTITUCIONAL | ASSOCIE-SE JÁ! | SERVIÇOS OFERECIDOS | HOTÉIS DE TRÂNSITO | REGIONAIS | POUSADAS | CASA DE APOIO | PROTEÇÃO AUTOMOTIVA | JURÍDICO | FALE CONOSCO | CSCSTV (vídeos)
img

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

img

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Nome:
Email:
Confirme seu cadastro:
Nome:
(DDD)
Confirme seu cadastro:
Operação contra o tráfico prende vereador e outras 24 pessoas em Minas
Publicado em 25/09/2018 11:09

Vereador Paulo Roberto da Silva (PROS), o "Paulo do Táxi", foi preso em São Gonçalo do Abaeté.

(Foto: Alex de Jesus / O Tempo)

Promotores de Justiça ligados ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em conjunto com a Polícia Militar, prenderam 35 pessoas envolvidas com o tráfico de drogas e o comércio ilegal de armas de fogo em Minas Gerais. Dos suspeitos, 10 já estavam presos e os outros 25 foram localizados nesta segunda-feira, 24, durante a Operação Canaã.

Com os suspeitos foram apreendidas drogas, armas, celulares, joias, computadores, veículos e mais de R$ 100 mil. As prisões ocorreram nos municípios mineiros de Patos de Minas, Uberlândia, Patrocínio, Coromandel, Buritizeiro e São Gonçalo do Abaeté, onde foi detido o vereador Paulo Roberto da Silva (PROS), o "Paulo do Táxi", como é conhecido na cidade.

Segundo o promotor Paulo César Freitas, foram nove meses de investigações até se chegar à última fase da operação com a prisão dos envolvidos. Além de da venda de drogas e armas, eles são investigados por crimes como furtos, roubos, receptação e lavagem de dinheiro.

No caso do vereador, ele foi preso por sua atuação como taxista. Ele e outros dois motoristas estariam prestando serviço de transporte de mercadorias para a quadrilha. "Ficou muito claro o envolvimento deles", falou o promotor. "Eles recebiam para isso mais do que o valor de uma corrida normal", completou.

Defesa

O vereador garante que não sabe o motivo de ter sido preso. Na delegacia, falou que nunca teve relação com a quadrilha.

"Não vou abrir as malas das pessoas para saber o que tem dentro", se defendeu Paulo do Táxi. "E vou provar a minha inocência", finalizou.

Fonte: Estadão Conteúdo

Redes Sociais
Centro Social dos Cabos e Soldados PM/CBM-MG - Rua Dom Oscar Romero, nº 500 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Central de atendimento ao Sócio cscs@cscs.org.br | Fone Sede Social: (31) 3371-6563
© 2019 | Assessoria de Comunicação - CSCS PMCBM-MG